Por que o autodidatismo é tão importante para o aluno?

31/01/2022
Kumon Brasil
Compartilhe:

o que é uma pessoa autodidata

Uma pessoa que vive o autodidatismo é curiosa, sempre questiona o porquê das coisas e tenta descobrir as respostas por conta própria. 


Você, provavelmente, deve conhecer alguém que aprendeu a tocar um instrumento, desenvolveu uma profissão ou assimilou um novo idioma sozinho. 


E aí se lembrou de alguma figura com essas características? 


Mais do que isso, esse tipo de estudo interessa a você ou, ainda, quer que o seu filho (a) se desenvolva assim? Excelente demais!


Independentemente do caso e do desejo, saiba que você está no lugar certo! O autodidatismo traz muitos benefícios, seja para adultos, adolescentes ou crianças. 


É possível aprender habilidades específicas e, além disso, ganhar expertise para viver e encarar desafios. 


Quer saber como? 


O método Kumon, claro, possui vários pilares, e um deles é a forma autodidata de aprender.


Continue por aqui e saiba mais. Você não vai se arrepender! 


O Kumon faz a diferença na vida das pessoas. Conheça como funciona o nosso método!


Leia também:


O que é o autodidatismo? 

Bom, o primeiro passo é saber o que, afinal, significa o termo em pauta. 


O autodidatismo, basicamente, é o ato de estudar e adquirir conhecimentos por si mesmo. Sendo assim, de forma particular, sem a ação direta de outras pessoas. 


Vale ressaltar, também, que o autodidata se dá por meio de esforço, estudo e muita, muita prática. Afinal, nada vem de graça, não é mesmo? 


Um exemplo: uma criança pode ser autodidata quando aprende um idioma, isso por meio de jogos. 


Outro caso: um adolescente ou um adulto pode viver o autodidatismo, quando aprende a desenhar sozinho. 


O bacana é que dá para aplicar a prática autodidata para qualquer tipo de estudo. 


Como saber se você é autodidata?

Dito o que é autodidata, vamos ver mais sobre como viver essa realidade. Até porque, ela vale muito a pena, viu? 


O fato é que o autodidatismo traz inúmeros benefícios. Alguns exemplos disso são: 


  • eficiência ao definir e cumprir metas,

  • aumento da criatividade,

  • versatilidade acadêmica,

  • profissional

  •  vantagem competitiva e mais.  


Mas, afinal, quais são as características de uma pessoa autodidata? 


Curiosidade

Digamos que a curiosidade é o pontapé inicial para o autodidatismo. Uma pessoa, por exemplo, pode ver uma frase em inglês nas redes sociais. 


A partir disso, ter a curiosidade de saber a tradução daquelas palavras. E daí, vem a vontade de aprender a segunda língua. 


O começo pode ser assim mesmo: simples. Uma pequena curiosidade pode abrir um mundo de conhecimentos e possibilidades! 


Iniciativa 

A curiosidade é muito importante, mas ela sozinha, não torna ninguém autodidata. 


Além de querer saber, é necessário dar o primeiro passo rumo ao aprendizado. Ou seja, ir atrás de um vídeo, de um curso, de uma forma que conduza aos conhecimentos. 


Aliás, não só a iniciativa é importante. Saber se organizar, nos estudos, também é fundamental. 


Aplicação 

Já a aplicação é o conjunto de atividades que resultarão no aprendizado autodidata. 


Usando o exemplo da pessoa que viu uma frase em inglês… Ela pode procurar um determinado método de ensino. 


Nessa forma de estudar, aquele aluno vai ter contato com textos, vídeos e áudios, que ensinem de forma autônoma. 


Ou seja, maneiras de aplicar e treinar tudo o que se aprende. 


como me tornar autodidata


É possível se tornar um autodidata? 

Claro, é possível se tornar uma pessoa autodidata, sim! 


Lembra que tudo começa com a curiosidade? E quem é que nunca teve aquele “comichão” por descobrir algo? A questão é dar continuidade na sede de saber. 


Veja só como fazer isso: 


Desenvolva o hábito de estudar 

O primeiro ponto é ter curiosidade e, mais do que isso, desenvolver o hábito de estudar. 


Sem dúvidas, uma das principais características do autodidata é a motivação, ou seja, ele sente vontade de buscar o conhecimento.


Procurando saciar esse desejo, alguns autodidatas se tornaram famosos, como Alberto Santos Dumont, inventor do avião e do relógio de pulso, e Albert Einstein, ganhador do Prêmio Nobel de Física em 1921.


Einstein chegou a ser visto como um aluno que não iria muito longe e foi reprovado em sua primeira tentativa de entrar na faculdade. 


No entanto, ingressou na universidade em 1900 e, pouco tempo depois, desenvolveu teorias que revolucionaram a Ciência.


Outro autodidata conhecido é Brian May, astrofísico e guitarrista da banda britânica Queen. 


Ele é um músico de renome mundial, com discos que venderam milhões de cópias em todo o planeta.


Uma observação: ter hábito de estudar não significa ler, escrever, enfim, o tempo inteiro. A mente e o corpo também precisam de descanso. 


Então, é extremamente importante fazer pausas durante o aprendizado! 


Conheça seus métodos 

Outra parte importante, sobre como ser autodidata, é conhecer os seus próprios métodos. 


Depois da curiosidade e da motivação, todo mundo acaba por seguir uma sequência de ações. 


Para aprender inglês, por exemplo, um aluno pode ler vários textos, depois, resumir tudo o que leu. Em seguida, ainda, fazer exercícios para fixar ainda mais todo o conhecimento. 


A questão dos métodos pode ser variável, tudo bem. O ideal mesmo é criá-los e mantê-los! 


Faça autoavaliação 

A autoavaliação é importante para saber onde o aluno está e em qual destino deseja chegar. 


Ao analisar necessidades, principais dificuldades e facilidades, fica até mais fácil escolher um método eficiente. 


Além do mais, as autoavaliações também são interessantes ao longo do processo, pois mostram o quanto o aprendizado evoluiu.

 

Estabeleça metas

Lembra da questão de saber onde está e para onde quer ir (comentadas no tópico anterior)? As metas também ajudam com isso! 


O mais indicado, seja para autodidatas ou não, é ter metas a curto, médio e longo prazo. 


Exemplos de metas: 


  • aprender mais cinco expressões, em inglês, em uma semana; 

  • aprender a usar o Simple Past (passado simples), dentro de um mês;

  • avançar de básico I para básico II, no prazo de seis meses. 


Vale a pena definir pontos de chegada desafiadores, mas sempre com respeito aos próprios limites e individualidades! 


Se o estudo for para uma criança ou adolescente, claro, pais e orientadores precisam pensar nas melhores metas possíveis. 


Aplique o que aprendeu

A teoria é importante, mas sem a prática, o aprendizado não anda! É por isso que — ao aprender inglês, — por exemplo, é crucial que o aluno teste, teste e teste. 


Na aprendizagem da língua inglesa, por exemplo, dá para fazer exercícios (de escrita, pronúncia e audição). 


Enfim, não importa ao que o autodidata se dedicará, ele precisa praticar e praticar!


Organize seus estudos

Como o autodidata precisa de métodos, leituras, treinos e afins, o melhor é organizar os estudos


Vale montar um planner de estudos para a semana, mês e ano. Fora isso, um checklist para o dia a dia. Ainda mais, porque, lembre-se: o conhecimento autodidata é por si só. 


Não tem ninguém — a todo tempo — conduzindo os estudos. Então, o melhor é organizar tudo antes, para não se perder! 


Ah, vale lembrar sempre de colocar pequenas pausas na rotina!


dicas para ser autodidata

Quais as vantagens de ser um autodidata? 

As vantagens de ser um autodidata ainda não acabaram. 


Confira mais alguns benefícios que o método independente pode proporcionar (fatos desejáveis demais, diga-se de passagem): 


Independência 

Bom, o jeito de estudar a aprender sozinho traz mais senso de independência. Ao longo do tempo, o aluno se habitua a resolver questões por si só. 


Afinal, ele sabe que por meio de uma leitura atenta, por exemplo, dá para aprender muito. Não é preciso ficar dependendo das explicações constantes de outra pessoa. 


O bom é que isso também pode surtir efeito em outras áreas da vida. 


A pessoa cria a consciência de que, se quiser, pode resolver diversos problemas com, “apenas”, seu próprio conhecimento. 


Criatividade 

Mais um benefício é a criatividade, afinal, o aluno não fica condicionado a um modelo exato de aprendizagem. Ele aprende realmente sozinho, com sua própria capacidade de pensar. 


E nós sabemos que a subjetividade pode levar a muitos caminhos. 


Ao estudar matemática, por exemplo, o aluno pode encontrar formas diferentes de calcular — algo novo, até mesmo, para professores. 


Einsten, por exemplo, conseguiu descobrir grandes teorias. Métodos que servem de base para diversas disciplinas, até hoje. 


Desenvolvimento acelerado

O autodidatismo, além de tudo, permite um desenvolvimento mais rápido. Isso porque cada aluno segue seu próprio ritmo. 


Ou seja, sem ter que esperar um colega ou uma turma avançar nos conteúdos. 


E mais: a própria curiosidade pode fazer a pessoa querer estudar e aprender mais e mais. Vamos pensar, novamente, no exemplo da pessoa que viu a frase em inglês. 


Ela acaba por querer estudar mais da gramática, do vocabulário, da ortografia, etc. Além disso, provavelmente, ela vai buscar outras páginas com conteúdos em inglês. 


Uma curiosidade vai sempre levando a outra, e a sede de aprender não para! 


Eficiência

Sem dúvidas, o autodidatismo também é eficiente. As pessoas podem aprender inúmeros conteúdos de forma independente. 


Algumas das maiores provas disso são os casos que citamos, como o de Einstein, Santos Dumont e Brian May — grandes gênios em suas determinadas áreas. 


Lembrando que também é possível aprender diversos tipos de conteúdos (exatas, humanas, pintura, desenho, música). Tudo isso por meio do autodidatismo. 


Competitividade profissional

Ser autodidata também tem a ver com competitividade profissional. Mas, claro, o incentivo a uma batalha saudável, sempre com respeito às outras pessoas. 


A questão é que o autodidata sabe que ele pode aprender sozinho. A partir disso, tem a capacidade e a vontade de descobrir, ainda mais, sobre sua atuação. 


Sem contar que o profissional pode descobrir teorias e práticas sozinho. Logo, ele vai ganhar mais destaque no mercado de trabalho.


Nada mau, não é mesmo? É com isso que se pode conseguir excelentes vagas de emprego e nunca ficar sem trabalho. 


Como funciona o aprendizado de um autodidata?

O Kumon possui um método de aprendizado autodidata. 


O aluno estuda lendo, pensando, resolvendo o material, com as próprias forças e avançando por meio do estudo autodidata.


E para complementar esse pilar, existem outros seis. São eles: 


  1. Individualidade: cada aluno estuda no ponto mais adequado às suas necessidades. Isso significa que ninguém fica preso à sua idade ou ano escolar.

  2. Material didático: os textos e exercícios começam com conteúdos fáceis e, ao longo do tempo, o aluno pode avançar de forma natural. Além disso, o aluno é estimulado a pensar, para que possa resolver os exercícios com seu próprio conhecimento.

  3. Orientadores: o Kumon tem orientadores que conseguem identificar o perfil de cada aluno e, consequentemente, explorar habilidades de modo diferente. A visão, para os alunos, é algo individual e particular. 

  4. Gosto pelo aprendizado: como o nível é condizente com a capacidade dos alunos, eles se sentem mais motivados a aprender. Logo, querem saber e aprender cada vez mais.

  5. Um passo à frente: o método Kumon faz com que os alunos desenvolvam habilidades acadêmicas. Com isso, o investimento tem prazo de validade para muitos e muitos anos. 

  6. Além dos estudos: estudar de forma independente torna as pessoas mais corajosas. Os alunos que aprendem com o método Kumon serão capazes de enfrentar desafios e somar à sociedade. 


Conclusão

Então, gostou de saber o que é o autodidatismo e como ele funciona? 


Lembrando que dá para aprender diversos conteúdos individualmente. O Kumon tem plena consciência disso. 


Pensando nesse ponto, desenvolveu um método que ensina: Língua Portuguesa, Matemática, Japonês e Inglês de modo autodidata. 


Os alunos entram em contato com um material que estimula: raciocínio lógico, resolução de problemas, além de independência, gosto pelos estudos e mais. 


O resultado é uma evolução intelectual muito mais rápida. O aluno não fica preso à sua idade ou ano escolar. 


Além disso, todos os benefícios fazem com que os conhecimentos se estendam à vida toda. Conheça mais do método Kumon!


O Kumon tem unidades espalhadas por todo o Brasil. Veja qual está mais próxima de você!

Tags: kumon, aprendizado

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade
Para garantir ainda mais transparência em como usamos seus dados pessoais aqui no Kumon, nós atualizamos nossa Política de Privacidade. Caso queira consultá-la, clique aqui. Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Ao continuar a navegar neste site, você concorda como o seu uso. Para saber mais sobre o uso de cookies, clique aqui.