Estilos de aprendizagem: quais são e como identificá-los?

07/02/2022
Kumon Brasil
Compartilhe:

Os estilos de aprendizagem são diferentes para cada tipos de aluno

Você já havia pensado que alunos podem ter estilos de aprendizagem diferentes, de acordo com suas preferências e características próprias?


Os estilos de aprendizagem são criados a partir de comportamentos distintos que servem de indicadores de como uma pessoa aprende e se adapta a seu ambiente, considerando as individualidades no processo de aprendizagem.


Por meio deles é possível identificar uma série de características que dividem os alunos em grupos, segundo o modo pelo qual têm mais facilidade de adquirir o conhecimento.


Estes atributos envolvem personalidade, forma de processar as informações recebidas, interações sociais e modo como o indivíduo se concentra, entende e retém o conhecimento.


No post de hoje, você vai entender quais são os 4 estilos de aprendizagem e aprender a identificar qual é o do seu filho, além de compreender melhor como isso afeta a maneira como ele adquire o conhecimento.


No método Kumon, o estudo é individualizado e no ritmo de cada aluno. Clique para saber mais.


Leia mais:


O que são os estilos de aprendizagem?


Para entender o que são estilos de aprendizagem, é necessário compreender a forma que o aluno usa para conseguir aprender. Cada um possui um jeito diferente e aprende de maneira singular.


Assim, existem tipos de aprendizagem com os quais cada pessoa tem mais facilidade (ou dificuldade) para entender o conteúdo. 


Por isso, alguns autores e estudiosos desenvolveram teorias para classificar estes estilos com base em habilidades cognitivas.


Esta classificação é bastante poderosa para ajudar alunos, pais e instituições de ensino a usar as melhores metodologias e formular estratégias pedagógicas adequadas a cada um dos estilos de aprendizagem.


Quando o aluno sabe o método que é mais eficiente para seu aprendizado, tem mais chances de alcançar seu máximo potencial.


Método Vark


Em 1992, o pesquisador Neil Fleming definiu quais são os 4 estilos de aprendizagem com base nas habilidades cognitivas.


Segundo ele, a aquisição do conhecimento ocorre por meio de quatro habilidades. O nome do estilo é um acrônimo em inglês que representa quais são elas:


  • Visual (visual)

  • Auditory (auditiva)

  • Read/Write (leitura/escrita)

  • Kinesthetic (cinestésica)


Visual 


O aluno tem mais facilidade em aprender por meio da visão, quando as informações estão organizadas de forma gráfica.


Para este aluno, o que funciona melhor são:


  • Gráficos

  • Infográficos

  • Tabelas

  • Vídeos

  • Imagens

  • Workflows

  • Diagramas

  • Mapas

  • Símbolos

  • Listas

  • Videoaulas


Uma das formas de identificar quem possui este estilo é observar se eles costumam desenhar enquanto estudam.


Auditiva

Identificar os estilos de aprendizagem é uma ferramenta para aprender melhor.


Este tipo de aluno tem o pensamento estruturado por meio de palavras. É um memorizador de conversas e retém facilmente as informações que escuta. Normalmente, gosta mais de aprender falando e ouvindo.


Este aluno tem mais facilidade para aprender com:


  • Entrevistas

  • Podcasts

  • Repetições

  • Músicas

  • Palestras

  • Discussões

  • Seminários

  • Debates

  • Leitura em voz alta


Entre os estilos de aprendizagem, é comum identificar este tipo por verbalizar frequentemente o que está pensando. 

Além disso, este tipo de aluno costuma fazer perguntas em voz alta, mesmo que óbvias, para ouvir a própria voz e fixar melhor o conhecimento.


Cinestésica


São aqueles estudantes que precisam colocar a mão na massa e têm facilidade em aprender fazendo. Possuem mais facilidade com dinâmicas que envolvam movimento. 


Como seu senso de realidade quando está aprendendo é concreto, sentem necessidade de experimentar o conhecimento na prática.


Isso significa movimentar o corpo, tocar nas coisas e, inclusive, sentir o cheiro. A palavra-chave aqui é interação.


Este aluno gosta de aprender com:


  • Experiências em laboratórios

  • Encenações

  • Demonstrações

  • Atividades esportivas

  • Gincanas

  • Gamificações


Entre os estilos de aprendizagem, este é o que está mais relacionado a aprender ao mesmo tempo em que realiza a prática. É possível identificá-lo em alunos que desejam fazer a atividade antes mesmo de dominar o conteúdo.


Leitura e escrita


Este aluno possui mais facilidade para absorver informações expressas em forma de palavras, assim como apresentar seus conhecimentos de forma escrita. São pessoas que aprendem melhor lendo e escrevendo.


As melhores ferramentas pedagógicas para este tipo de aluno são:


  • Livros

  • Apostilas

  • Dicionários

  • Textos online

  • Artigos

  • Pesquisas

  • Manuais

  • Relatórios


Este é fácil de identificar. Os alunos que preferem este tipo de abordagem costumam anotar tudo que está no quadro ou que o professor diz.

Aproveite e confira as dicas de livros que preparamos e que vão auxiliar no aprendizado desses alunos!



Método Kolb


Este método foi criado pelo teórico educacional americano David Kolb em 1979. Ele também trabalha com quatro estilos de aprendizagem, porém seu foco dá mais valor ao papel da experiência no processo de aquisição do conhecimento.


Segundo o estudioso, o aluno passa por quatro estágios enquanto aprende: experiência concreta (agir), observação reflexiva (refletir), conceitualização abstrata (conceitualizar) e experimentação ativa (aplicar). 


Este processo é conhecido como ciclo de aprendizagem de Kolb. Nele, cada um dos estágios está conectado a um dos quatro tipos de aprendizagem: divergente, assimilador, convergente e acomodador.


Cada estilo é definido pela etapa do ciclo com a qual o aluno tem mais facilidade para começar a aprender. Ou seja: o ponto de partida que o levará a percorrer as outras etapas.


A seguir, descubra quais são os 4 estilos de aprendizagem de Kolb.


Acomodador


Os alunos que encaixam-se neste estilo preferem vivenciar experiências práticas em vez de teoria. Usam muito a intuição e a mecânica de tentativa e erro para chegar ao conhecimento.


Tratam-se de pessoas que apreciam desafios e novas experiências. As habilidades deste grupo são a experiência concreta e a experimentação ativa. Isto é: agir e aplicar.


Estes alunos aprendem melhor com: 


  • Aulas de campo

  • Projetos

  • Atividades práticas

  • Atividades gamificadas


Para identificá-los, fique de olho naqueles que frequentemente se perguntam: “e se eu fizesse de tal forma?” ou “por que não?”.


Convergente

 Aprender na prática é um dos estilos de aprendizagem.


Destacam-se na aplicação prática das ideias e contam bastante com o raciocínio dedutivo. Em outros termos, buscam aplicação prática das ideias, resolvendo problemas e tomando decisões.


As habilidades dominantes neste caso são experiência concreta e observação reflexiva. Ou seja: agir e refletir.


São alunos que preferem:


  • Simulações

  • Experiências em laboratório


Estes alunos normalmente são aqueles que perguntam “como?” e “o que posso fazer?”.


Assimilador


Gostam mais da teoria do que de seu uso prático, e são fascinados por modelos teóricos. Representantes deste estilo preferem reunir fatos e organizá-los de forma lógica e integrada.


As habilidades que mais se destacam são observação reflexiva conceituação abstrata. Em outras palavras: refletir e conceitualizar.


Eles aprendem melhor com:


  • Leitura

  • Palestras

  • Exploração de modelos analíticos


Os assimiladores normalmente são aqueles que fazem perguntas como “o que há para se conhecer?” ou “o que isso significa?”.


Divergente


Os pontos fortes são a criatividade e a imaginação. Sentem-se confortáveis com situações que exigem geração de ideias.


Suas habilidades dominantes são conceituação abstrata e experimentação ativa. Em suma: conceitualizar e aplicar.


Estes alunos estão mais abertos a instrumentos de ensino como:


  • Modelos de construção

  • Estudos de caso

  • Trabalhos em grupo

  • Debates


São aqueles identificados por sua postura questionadora, em que normalmente a principal pergunta é “por quê?”.



Método Honey-Alonso


Este modelo foi elaborado pelo psicólogo Peter Honey e a doutora educacional Catalina Alonso. Ele contempla um ciclo de aprendizagem resultante da interação entre ambiente, experiência prévia e conhecimentos construídos individualmente.


Estas interações, assim como nos métodos anteriores, resultam em quatro estilos de aprendizagem: ativo, reflexivo, pragmático e teórico.


Ativo


O aluno que possui um estilo ativo realiza a experiência.


Costuma se entusiasmar com situações novas e prefere que seus dias estejam preenchidos por diversas tarefas.


Tratam-se de pessoas de mente aberta que gostam de encarar desafios, não apreciam prazos muito compridos, adoram novidades e preferem relacionar-se em grupos, de forma que sejam o centro das atividades.


Reflexivo


O aluno deste grupo revisa a experiência.


Atualiza dados, estuda, reflete e analisa todas as alternativas possíveis detalhadamente antes de decidir. Costumam ser pessoas que reúnem muitos dados no percurso para chegar a conclusões.


Quem possui um estilo reflexivo costuma ser prudente, ponderado e analítico, observando os diversos ângulos e perspectivas de uma situação.


Pragmático


Alunos pragmáticos planejam os próximos passos da experiência.


Costumam ser aqueles que pegam a parte positiva de novas ideias e a experimentam na primeira oportunidade. 


Por preferirem experimentar os conceitos na prática e serem muito realistas na hora de tomar decisões, tendem a ser impacientes com discussões e pessoas muito abstratas ou que teorizam.


Entre os estilos de aprendizagem, são os que atuam mais rapidamente e com seguridade em relação aos temas que despertam sua atenção.


Teórico


O aluno teórico conclui a experiência.


Suas principais características são encarar os problemas de forma lógica, estabelecendo teorias e princípios em busca de uma estrutura.


São disciplinados e planejadores. Encaram problemas de maneira vertical, por etapas lógicas, analisando cada etapa com racionalidade e objetividade.


Dos estilos de aprendizagem, são os que mais gostam de analisar e sintetizar, pensando em teorias e modelos e não raro tendendo ao perfeccionismo.


Como descobrir o estilo de aprendizagem?


Agora que você já sabe o que são estilos de aprendizagem, deve estar morrendo de curiosidade para saber qual é o do seu filho, não é mesmo?


Ao observar as características de cada um dos tipos de aprendizagem, você provavelmente já tem alguma pista de qual é o que mais tem a ver com ele. 


Entretanto, existem métodos mais precisos desenvolvidos pelos criadores destes modelos que podem indicar com mais precisão qual é o do seu filho.


Questionário Vark


O questionário Vark é composto por 16 perguntas. É permitido selecionar mais de uma resposta para cada uma delas. 


No final, cada letra (V, A, R, K) é acompanhada de uma pontuação, indicando quanto daquela característica está presente em seu filho.


O número mais alto indica qual é o estilo predominante. Caso existam valores iguais, isto quer dizer que o estilo é multimodal. 


Ou seja: seu filho é um tipo de aluno que aprende mesclando estilos de aprendizagem ao mesmo tempo.


Há dois tipos de alunos multimodais:


  • Vark tipo 1: é flexível e se adapta ao estilo de aprendizagem conforme o contexto.

  • Vark tipo 2: aprende mais devagar, pois a informação precisa passar por todos os estilos de preferência para que ele sinta segurança. Em compensação, aprende de maneira mais profunda o conteúdo.


Questionário Kolb


O questionário Kolb traz 12 sentenças, cada uma com quatro tipos de respostas possíveis. 


Cada resposta recebe uma nota de 1 a 4. A maior é a que caracteriza como seu filho aprende melhor, e a menor, a forma menos provável de ele aprender.


Questionário Honey-Alonso


O questionário Honey-Alonso traz 80 alternativas. O aluno deve marcar aquelas que estejam de maior acordo com seu estilo de vida.


Vale lembrar que, neste tipo de teste de estilos de aprendizagem, não existem respostas certas ou erradas. 


O objetivo é somente descobrir de que modo cada pessoa aprende melhor e utilizar esta informação para potencializar os estudos.


Qual é o papel da escola para identificar os tipos de aprendizagem?


Agora que você sabe bem quais são os 4 estilos de aprendizagem, já deve ter percebido como eles podem ser usados de maneira poderosa para criar modelos educacionais que potencializem o aprendizado e desenvolvimento acadêmico.


Entendendo que cada pessoa tem facilidade em aprender de uma forma diferente, as escolas e demais instituições de ensino podem refletir sobre a maneira mais adequada de ensinar e empregar diversos métodos para passar o conhecimento ao maior número possível de alunos.


O conhecimento sobre os tipos de aprendizagem proporciona um modo mais fácil de aprender, adaptando o ambiente de aprendizado a estilos diferentes com o objetivo de obter mais qualidade no ensino.


Visite a unidade do Kumon mais próxima e conheça nosso método de estudos individualizado.


Conclusão


Neste post, você entendeu o que são os estilos de aprendizagem. Eles funcionam como indicadores de como cada um recebe, interage e responde a uma informação na aprendizagem.


Saber quais são os estilos de aprendizagem é uma informação essencial para direcionar onde alunos e instituições de ensino devem investir suas forças e dedicar mais esforço.


Assim, é possível obter resultados melhores, mais desempenho e evolução por parte dos alunos. 


Não deixe de fazer os questionários. 



Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade
Para garantir ainda mais transparência em como usamos seus dados pessoais aqui no Kumon, nós atualizamos nossa Política de Privacidade. Caso queira consultá-la, clique aqui. Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Ao continuar a navegar neste site, você concorda como o seu uso. Para saber mais sobre o uso de cookies, clique aqui.