Técnicas de memorização: 8 melhores para te ajudar nos estudos

13/01/2022
Kumon Brasil
Compartilhe:


Foto de mulher treinando o foco como uma das técnicas de memorização.


Sabe aquela sensação horrível de encontrar uma pessoa e não lembrar o nome, ou, pior, de estar diante de uma pergunta importante em uma prova e não conseguir recordar a resposta? Aprendendo técnicas de memorização, tudo isso vira parte do passado.


Pois é, em todas as fases de nossas vidas, desde muito pequenos, passando pela escola, vestibular e vida profissional, a memória desempenha um papel fundamental.


Ela é determinante na maneira como absorvemos novos conhecimentos e chegamos a soluções para inúmeras questões cotidianas (para entender melhor, leia o post sobre como ela se integra a outras habilidades cognitivas).


Considerando tudo isso, nada mais natural que tentar aperfeiçoar ao máximo esta aptidão. A boa notícia é que existem várias estratégias para chegar lá. 


E nós estamos aqui para ajudar você nesta tarefa.


Neste post, você vai aprender algumas técnicas de memorização realmente eficazes para dar uma força extra para os seus estudos e um empurrão na sua carreira. 


Saiba como desenvolver todo seu potencial com o método Kumon.


Continue lendo para saber como estudar usando técnicas de memorização e quais as mais adequadas para você.


Leia também:

Técnicas de memorização: conheça as 8 melhores

Existem muitas diferenças entre memorizar um conteúdo e fazer a popular “decoreba”. A principal de todas elas: a primeira é muito mais eficiente.

Isso porque, quando você decora algo, está simplesmente guardando uma informação de forma muito objetiva, para poder utilizá-la em um contexto específico. 

Por exemplo: saber uma fórmula matemática ou um conjunto de datas históricas para usar na prova do dia seguinte.

O problema disso é que logo ela será esquecida. Infelizmente, talvez, antes mesmo ou na hora da prova. 

Por isso, absorver o conhecimento de maneira profunda, sabendo contextualizar e explicar as informações, entendendo o que é estudado, é uma alternativa mais interessante. A este processo, damos o nome de memorização.


Técnicas de memorização são algumas práticas que, por meio da atenção e da concentração, permitem que você assimile as informações e compreenda o conteúdo mais significativamente, tornando o conhecimento acessível sempre que precisar.


Vamos a algumas delas?


1. Foco


Um dos maiores desafios para quem estuda é manter a concentração. E, atualmente, as tecnologias não têm deixado esta tarefa mais fácil. 


Redes sociais, notificações de mensagens e um mundo cada vez mais conectado tornam a missão de permanecer focado cada vez mais complicada.


Para manter a atenção no momento presente, sem distrações, é essencial treinar o cérebro. Isto pode ser feito usando técnicas respiratórias, por exemplo, para aprender a se concentrar em uma atividade de cada vez.


2. Rotina


Aqui no Kumon, nós falamos bastante sobre o hábito de estudos. Quando estudar se torna parte da rotina diária, fica muito mais fácil obter excelentes resultados. 


Com as técnicas de memorização acontece a mesma coisa. Treinar a memória exige bastante comprometimento e disciplina.


Reservar um horário para os estudos é a melhor maneira de criar este hábito. Estudar todos os dias, na mesma hora, ajuda a se concentrar na atividade, tornando este momento mais fácil e natural (confira estas dicas para criar uma rotina de estudos e potencializar o aprendizado).


3. Organização


O local de estudos é primordial para o seu desempenho. Escolha um lugar calmo, silencioso, bem iluminado e confortável. Quanto menos elementos para atrapalhar sua concentração, melhor.


E isso inclui, claro, o seu celular! Durante o período de estudos, fique longe das redes sociais e de outras distrações que desviem sua atenção. 


Pode não parecer, mas uma simples notificação de mensagem é suficiente para tirar o foco do que você estava estudando.


4. Resumos


Vá além da simples leitura do conteúdo. Ao elaborar um resumo do que estudou, você assume uma postura mais ativa diante do que aprendeu. E isto tem muitas vantagens!


Ao escrever, seu cérebro utiliza formas visuais e cinestésicas de aprendizado (falaremos disso logo mais neste post). Além disso, um resumo ajuda a estruturar os assuntos em tópicos, o que facilita a técnica de memorização de texto.


5. Associação


Esta técnica consiste em associar algo que ainda não conhecemos muito bem a algo com o que já estamos bastante familiarizados. Ou seja: associamos o difícil ao fácil de lembrar! 


Podemos associar o que queremos memorizar a uma rima, uma sequência de fonemas, ou mesmo a uma imagem. 


Esta técnica é muito utilizada, por exemplo, para lembrar nomes. Sabe quando você conhece uma pessoa que tem o mesmo nome de alguém importante para você, como sua mãe, por exemplo, e imediatamente memoriza? É pura associação!


6. Reflexão


Para fixar um assunto, não basta fazer apenas uma ou mais leituras das informações. É necessário refletir sobre elas, reservando um tempo para pensar sobre as questões abordadas no texto.


Uma boa estratégia é fazer perguntas para você mesmo. Por que este tema é importante? Como você o explicaria a alguém? Como ele se conecta a outras questões? Tudo isso ajuda a formar uma postura crítica e fixar melhor o aprendizado.


7. Prática


Ao colocar suas técnica de memorização de texto em prática, você é obrigado a realizar o procedimento de acessar suas memórias. E este é um ótimo treino! 


Fazer os exercícios da escola e resolver simulados, por exemplo, ajudam bastante a memorizar novas informações.


E você não precisa ficar restrito a estes tipos de atividades acadêmicas. Palavras-cruzadas, quizzes e problemas de lógica são maneiras divertidas de exercitar a memória.


8. Alimentação


A alimentação possui uma influência enorme sobre o que é aprendido. Conforme este estudo, uma dieta balanceada e saudável faz toda a diferença no desempenho cognitivo de crianças e adolescentes.


Dentro deste mesmo assunto, vale a pena ressaltar a importância de uma boa hidratação para o nosso organismo e para as técnicas de memorização e aprendizagem. Mantenha sempre uma garrafinha de água por perto!


Entenda como você aprende!



Foto de criança utilizando figuras e elementos visuais como técnicas de memorização.


Você sabia que nem todo mundo aprende como estudar usando técnicas de memorização da mesma forma? Algumas pessoas são mais visuais, outras auditivas, e outras cinestésicas. O primeiro dos tipos de aprendizagem se concentra em imagens. O segundo, nos sons. E o terceiro, no tato. 


Saber que tipo de experiência é mais natural e confortável para você permite fazer escolhas que podem ajudar muito a fixar o conteúdo, como assistir a um vídeo ou ouvir um podcast. 


Veja abaixo algumas técnicas de memorização para cada tipo de estudante.


Auditivo


  • Ler em voz alta, repetindo as informações.

  • Gravar os estudos e ouvir o conteúdo no caminho para a escola ou o trabalho.

  • Gravar as aulas dos professores para escutar depois.


Visual


  • Utilizar infográficos, slides, ilustrações e textos.

  • Fazer resumos em forma de tópicos. 

  • Criar associações visuais, conforme explicamos anteriormente.


Cinestésico


  • Focar em situações práticas.

  • Tocar, montar e desmontar coisas sempre que possível. 

  • Associar gestos e ações ao conteúdo.


Ferramentas para ampliar as técnicas de memorização


Até agora, vimos algumas técnicas de memorização que podem fazer toda a diferença nos seus estudos, e como elas se relacionam com cada tipo de pessoa. 


Em todas elas, podemos ir além em nosso aprendizado, utilizando ferramentas que ampliem e potencializem estes métodos. 


Se você já fez cursinho ou estudou para algum concurso público, certamente deve conhecer algumas delas. 

Acrônimos


Acrônimos são siglas que podem ser lidas como uma palavra, ou palavras formadas por iniciais ou sílabas de outras palavras. Pode parecer confuso, mas é mais simples do que parece. 


Por exemplo: palavras como FIFA (do francês Fédération Internationale de Football Association), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e NASA (do inglês National Aeronautics and Space Administration) são acrônimos de siglas lidas em forma de palavra.


Esta é uma das técnicas de memorização preferidas dos professores de cursos preparatórios. 


Para memorizar os princípios fundamentais da República Federativa do Brasil, por exemplo, usa-se o acrônimo SOCIDIVAPLU: soberania, cidadania, dignidade da pessoa humana, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e pluralismo político.


Acrósticos


Acrósticos são frases que, quando colocadas verticalmente umas sobre as outras, formam palavras com suas iniciais. Um ótimo exemplo é a canção “Maria Rita Meu Amor”, de Roberto Carlos:


Mais que a minha própria vida

Além do que eu sonhei pra mim

Raio de luz

Inspiração

Amor você é assim


Rima dos versos que eu canto

Imenso amor que eu falo tanto

Tudo pra mim

Amo você assim


Meu coração

Eternamente

Um dia eu te entreguei


Amo você

Mais do que tudo eu sei

O sol

Raiou pra mim quando eu te encontrei


Canções


Já que estamos falando de música, saiba que esta é uma das melhores técnicas de memorização. Quer uma prova? Pense naquela canção que não sai da sua cabeça, por mais que você tente tirar, ou na quantidade de letras que sabe cantar junto. 


Viu só?


Não é por acaso que esta também é uma das ferramentas mais utilizadas por professores. Mas você pode, com um pouco de criatividade, tentar criar suas próprias melodias. Quem sabe não existe aí um talento escondido?


Palavras-chave


Entre as técnicas de memorização e aprendizagem, uma bem visual é a da palavra-chave. Ela consiste em associar o som de uma palavra a uma imagem que ajude a lembrar o seu significado. Por esta razão, este método é incrivelmente útil no aprendizado de idiomas. 


Por exemplo: em inglês, xícara é cup. Para se lembrar disso, você pode associar a palavra cup ao troféu em forma de taça da Copa do Mundo. Use o humor para reforçar a mensagem: que tal, sempre que ouvir cup, lembrar de um jogador tomando café no troféu?

Afinal, o que é curva de esquecimento?


Ilustração de uma cabeça contendo peças de quebra-cabeças, representando as técnicas de memorização.


Segundo um estudo da Universidade de Berkeley, lemos ou ouvimos mais de 100 mil palavras por dia. É o equivalente a uma Bíblia por semana! Já imaginou se nosso cérebro guardasse todas estas informações? Com certeza, ele logo entraria em colapso.


Assim, nosso organismo desenvolveu um método para esquecer informações que não sejam utilizadas ao longo do tempo. 


Um dos pesquisadores que mais se dedicou ao estudo deste procedimento foi o alemão Hermann Ebbinghaus


Também foi ele que criou o termo curva de esquecimento, em 1885, para descrever o processo de eliminação das memórias.


O que ele descobriu foi que as memórias mais utilizadas são prioridades para o cérebro, enquanto aquelas que não são tão acessadas são apagadas aos poucos. 


Além disso, seus estudos mostraram que esquecemos aproximadamente 70% do que aprendemos em uma semana. 


Deu pra entender como as técnicas de memorização são importantes, não é?


Como saber quais técnicas de memorização são para mim?


Uma pista para isso é analisar sua área de interesse. Se você gosta da área de Humanas, por exemplo, talvez tenha mais facilidade com técnicas de memorização que utilizam recursos como palavras-chave, canções, ilustrações, textos e associações com conteúdos literários.


Já se você prefere a área de Exatas, os métodos voltados para a experimentação, lógica, números e gráficos talvez sejam mais adequados.


Como comentamos anteriormente, o processo de como estudar usando técnicas de memorização é diferente para cada pessoa. Algumas têm mais facilidade em aprender de forma visual, outras de forma auditiva ou cinestésica. Por isso, é importante perceber qual delas funciona melhor para você.


No método Kumon, estas diferenças são trabalhadas desde o primeiro dia, já que o processo de aprendizagem é planejado e individualizado. Isto fortalece o potencial de aprendizado de cada pessoa com base em suas características próprias. 


Para saber como ele pode ajudar seu filho a conquistar o conhecimento, visite nosso site.


Conclusão


Neste texto, apresentamos uma série de ferramentas e técnicas de memorização valiosas para quem deseja ir além de decorar, aprendendo de verdade e absorvendo o máximo de conhecimento. 


Além dos métodos que mostramos, existem muitas outras práticas que podem fazer toda diferença nos seus estudos. Com certeza uma delas combina melhor com sua rotina, objetivos e características pessoais.


Porém, algumas recomendações são válidas para todos que desejam explorar seu máximo potencial: boas noites de sono, hidratação adequada, alimentação saudável e atividade física ajudam seu cérebro a memorizar as informações mais facilmente.


Para obter o melhor das técnicas de memorização e aprendizagem, descansar também é fundamental. Não deixe de fazer pequenos intervalos. Em vez de atrapalhar seu ritmo de estudos, este hábito traz mais disposição e é muito poderoso. 


Aqui no blog você encontra um texto sobre a técnica Pomodoro, um método fácil de aplicar e com resultados muito rápidos. 


Se você gostou destas dicas, pode começar a treinar sua memória agora mesmo lembrando-se de compartilhar este post com os seus amigos e em suas redes sociais!

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade
Para garantir ainda mais transparência em como usamos seus dados pessoais aqui no Kumon, nós atualizamos nossa Política de Privacidade. Caso queira consultá-la, clique aqui. Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Ao continuar a navegar neste site, você concorda como o seu uso. Para saber mais sobre o uso de cookies, clique aqui.