Família e escola: por que esta parceria é tão importante?

26/05/2022
Kumon Brasil
Compartilhe:

 Importância da família na educação: entenda porque é necessário fortalecer esta parceria.

O quanto você se faz presente na educação do seu filho? A resposta para isso diz muito sobre o desenvolvimento intelectual dele. No cenário ideal, família e escola precisam andar de mãos dadas. 


Sendo assim, não basta esperar que, dia após dia, o seu filho vá à escola ou a qualquer curso — e, “apenas” isso, seja o suficiente para a formação dele. 


Cada criança precisa de estímulos e aprendizados, que ultrapassam salas de aula. 


A boa notícia é que, com medidas até simples (da rotina), é possível aperfeiçoar a educação infantil. 


É sobre exatamente esse ponto que vamos falar por aqui. 


Você vai ver como escola e família, atuando juntas, podem ir além. Tudo para o bem-estar e futuro promissor da sua criança. 


Então, continue a leitura e aproveite as dicas! 


Conheça o método Kumon de estudo e como ele pode fortalecer o seu potencial de aprendizado!

Família e escola: qual a importância dessa relação?

Engana-se quem pensa que a educação é de responsabilidade, apenas, dos educadores. O desenvolvimento de crianças e adolescentes é um processo longo e cheio de cuidados. 


Então, para dar conta das demandas e, dessa maneira, formar bons cidadãos, é crucial a participação de família e escola. 


No Kumon, por exemplo, isso é seguido em todos os processos. Os pais são estimulados a participarem de cada etapa de crescimento. 


O acompanhamento é feito com o orientador que, desde o primeiro encontro, estabelece um canal de comunicação, a fim de tirar dúvidas sobre o método e aconselhá-los quanto à forma de auxiliar a criança nos exercícios. 


Também, convida a família para reuniões periódicas, com o intuito de atualizá-la sobre os avanços do filho e de construir um planejamento de aprendizagem adequado ao perfil do estudante.


Além disso, no curso pré-escolar, o Kumon disponibiliza livros de canções, para que os pais continuem potencializando as capacidades das crianças, só que em casa. 


Do mesmo modo, oferece um caderno de registros, no qual os familiares fazem anotações sobre os resultados obtidos em cada atividade.    


Todas essas medidas, sem dúvidas, fortalecem o  vínculo de família e escola de forma natural! 


Quais habilidades a família pode desenvolver na criança?

Muitas habilidades são desenvolvidas quando a relação entre escola e família é concretizada.


Mas, afinal de contas, como a família pode contribuir, mais, para a educação dos pequenos? Como a troca entre família e escola pode acontecer?


O fato é que, para o desenvolvimento humano, não basta aprender a ler, escrever e fazer cálculos. Existem outras habilidades fundamentais para o sucesso pessoal e profissional. 


Veja só outros conhecimentos, que a família pode estimular: 

Pensamento crítico

O pensamento crítico é a capacidade de analisar e julgar fatos e conteúdos. Esse senso é muito importante para sair da superficialidade. 


Ou seja, para conseguir interpretar e “investigar” aquilo que é dito, por qualquer outra pessoa. 


Depois disso, ver o que faz sentido, de acordo com os próprios valores. Uma forma de estimular isso é ensinar, aos filhos, sempre questionar…

Por que tal fato ou conteúdo está sendo dito, qual a intenção daquela fala, quem são as pessoas envolvidas, etc.


É claro que essa noção crítica precisa de mais maturidade, dada a sua complexidade. Geralmente, ela ocorre mais no período da adolescência. 

Inteligência emocional

A inteligência emocional é uma das habilidades mais importantes. Para refletir sobre isso, vamos pensar no futuro dos seus filhos, ok? 


Eles podem cursar uma graduação e dominar 100% da técnica profissional. Mas, se não tiverem conhecimento sobre suas próprias emoções, o sucesso pode ser comprometido. 


A inteligência emocional, então, vem como forma de conhecer e saber lidar com as próprias emoções (incluindo raiva, medo, frustração, tudo mesmo). 


Esse tipo de inteligência, também, ajuda a ter êxito com as relações interpessoais. 


Para isso, família e escola devem respeitar as emoções de crianças e adolescentes. Nunca incentivar a repressão aos sentimentos. 


Conversas francas, respeitosas e recorrentes, sobre as emoções e os sentimentos, também são essenciais.

Trabalho em equipe

O trabalho em equipe também é crucial para o desenvolvimento humano. A colaboração soma ao próprio conhecimento e sucesso das pessoas envolvidas. 


Outro benefício disso é o estreitamento das relações pessoais. De modo geral, família e escola podem mostrar que o mundo pode ser bem melhor, quando agimos juntos. 


E o interessante é que, nas próprias tarefas de casa, dá para estimular muito o trabalho em equipe. 


Chame as crianças, desde cedo, para ajudar a fazer bolo, arrumar o quarto, dar banho nos pets, etc. 

Educação e família: quais habilidades são desenvolvidas?


Respeitar o espaço dos outros

É claro que o respeito ao espaço dos outros também é importante. Nesse caso, os pais podem explicar que cada ser humano necessita de suas individualidades. 


Então, todos nós precisamos respeitar isso. As pessoas devem ter seus próprios espaços em casa, na escola, no trabalho…


O que não significa que sejam “reinos intocáveis”, mas que, quando há o desejo de chegar à outra pessoa (e às coisas dela), é preciso pedir permissão. 

Como a relação família e escola deve ser promovida?

Quando falamos da relação família e escola, muitas pessoas pensam somente em: reuniões e caderno de recados (mandado pelos educadores). 


Mas, olha só, há outras maneiras de criar e manter o vínculo escola e família. 


Confira mais essas nossas dicas: 

Visite o espaço escolar

Para começar, vale muito conhecer o espaço onde o seu filho estuda ou estudará. 


Veja como são as salas de aula, quais recursos a escola ou curso possui (computadores, jogos, laboratórios, dentre outros). 


Também, veja quantas crianças ou adolescentes são colocados em cada atividade. 


Tudo isso faz com que você — como pai, mãe ou qualquer outro responsável — fique inteirado sobre a educação infantil. 

Conheça os colaboradores da escola

O segundo passo, sobre a relação família e escola, é conhecer os educadores e demais colaboradores da escola. 


Converse com eles, procure saber quais são as experiências deles sobre educação. Além disso, quais são as metodologias aplicadas dentro e fora de sala. 


Se possível, peça para assistir a uma aula e, ainda, veja como são os materiais pedagógicos. 

Se alinhe com o plano pedagógico

Você sabia que colégios e cursos avulsos seguem um plano pedagógico? 


Esse tipo de planejamento traz informações sobre: conteúdos abordados, formas de avaliação dos alunos, metas para o aprendizado e afins. 


O mais importante, aqui, é ter conhecimento sobre o plano pedagógico. 


Assim, os pais podem intensificar os aprendizados, dos filhos, em casa — seja com exercícios, atividades domésticas, brincadeiras e mais. 

Como a relação família e escola deve ser promovida?


Não falte às reuniões 

Mais uma medida crucial, de se inteirar à educação infantil, é comparecer às reuniões de pais e mestres. 


Afinal, nesses momentos, há o objetivo de mostrar as atividades dos alunos, o que eles têm aprendido. 


Além do mais, de conhecer mais dos educadores, dar a opinião sobre processos pedagógicos, dentre outros pontos.


Sem dúvidas, a relação entre família e escola fica ainda mais forte nessas ocasiões!

Incentive a estudar

A família, também, pode ajudar na educação incentivando os estudos


Por exemplo, mostre livros, séries e filmes, desenhos, além de documentários bacanas. Tudo que, claro, tenha conteúdos ricos, seja para as crianças ou para os adolescentes. 


Aliás, uma medida que sempre funciona é atrelar estudos com interesses e prazeres. 


Quando os pequenos aprendem se divertindo, por exemplo, tudo flui mais. 

5 dicas para acompanhar o desempenho escolar de seu filho

Você, vez ou outra, enfrenta dificuldades para ajudar nas lições e, no geral, no desempenho escolar de seus filhos? 


A boa notícia é que, também, existem medidas que podem transformar isso. Veja como ajudar mais seus filhos: 

1.      Esteja presente

Mostrar interesse pela educação da criança faz com que ela se sinta motivada a continuar aprendendo. 


Logo, frequente as reuniões de pais, converse constantemente com os orientadores e pergunte sobre os conteúdos abordados e as dificuldades apresentadas


Não fique com receio ou sem jeito de fortalecer o contato entre família e escola!


Além disso, acompanhe a realização das tarefas de casa. Permaneça no mesmo cômodo que seu filho, se possível lendo ou trabalhando. 


Assim, é criada uma atmosfera de estudo e concentração, o que pode otimizar o aproveitamento das lições.

2.      Ajude a pensar

Ajudar a pensar é, também, uma atividade de escola e família!


Em casa, se surgirem dúvidas sobre os deveres, procure ajudar, mas sem dar a resposta nem explicar o conteúdo detalhadamente. 


Perceba onde estão os problemas e tente encontrar uma solução conjunta. Isso é importante para trabalhar a autonomia e a resolução de desafios.

 Escola e família juntos: Como acompanhar o desempenho escolar de seu filho


3.      Respeite o ritmo da criança

Cada pessoa tem um ritmo próprio de aprendizado e desenvolvimento. Por isso, é muito importante não comparar o desempenho das crianças. 


Pressioná-las, excessivamente, ou proibi-las de brincar e se divertir, também não serão medidas eficazes.


Pelo contrário, essas atitudes podem desmotiva-las em relação aos estudos e tornar a situação ainda mais complicada. 


Se você perceber algo de preocupante no processo de aprendizado, vá até à instituição de ensino e se informe sobre o que está acontecendo. 


Nesse caso, é ainda mais importante a família na escola! Quanto mais cedo a dificuldade for notada, melhor para a criança ou adolescente.

4.      Se precisar, procure ajuda

Se você notar dificuldades recorrentes, em hipótese alguma, culpe seu filho por isso! 


Fale sobre a situação com professores, orientadores e profissionais especializados. 


Sempre procure respostas que ajudem não apenas a obter notas mais altas, mas que tragam melhorias permanentes!

5.      Reconheça os progressos

Sempre observe as tarefas e reconheça cada progresso realizado. 


Elogie toda vez que a criança adiantar as lições de casa, solucionar um exercício mais difícil ou ajudar um colega. Assim, ela se tornará mais confiante para continuar aprendendo.


Lembrando que, no método Kumon, orientadores, estudantes e suas famílias trabalham em conjunto. 


Dessa forma, com família e educação intensas, é possível que cada aluno crie o próprio caminho para atingir seu potencial máximo. 


Os pais presenciam o aprendizado dos filhos e participam da resolução de eventuais problemas.

Como as escolas podem auxiliar as famílias?

A relação entre família e escola, ainda, pode ficar melhor. Os educadores podem, colocar em prática, formas de apoio à família como todo.

Para isso, é importante seguir os passos abaixo:

Escute a família

É papel dos educadores ouvirem a família com atenção. Quais são as facilidades e dificuldades dela, em relação à educação das crianças? 


Com isso, é possível dar dicas de como proceder, no dia a dia de acompanhamento dos filhos. 


O diálogo precisa ser constante e muito sincero! 

Canal de comunicação efetivo

O diálogo eficiente demanda canais de comunicação, concorda? 


Então, além das reuniões de pais e mestres, é importante que a escola tenha um WhatsApp, por exemplo, para os pais mandarem mensagens.

O bom é que a comunicação, pelo celular, sempre tende a ser mais rápida. Sem contar que fica disponível o tempo todo.

Eventos escolares

Existem outros eventos escolares, que também ajudam a fortalecer a relação entre família e escola. 


Festa junina, confraternização de Natal, além de palestras e workshops são ótimos exemplos. 

Conheça a Flávia e seus filhos: uma prova de que a relação família e escola pode dar certo!

A importância da família e educação.



Existem diversos momentos valiosos para se compartilhar em família — viajar, jantar, celebrar uma conquista. 


E, por que não, estudar? Na família de Flávia Garcia da Silva, estudar e ampliar o conhecimento se tornou algo comum a todos! 


De fato, acontece a educação na família e na escola!


A ligação entre a família de Flávia e o Kumon começou com o filho Igor. Após demonstrar grande interesse pela cultura japonesa, ele começou a comprar revistas e a estudar sozinho. 


Ao ver tanta determinação, a mãe não perdeu tempo e o matriculou no curso de Japonês do Kumon. 


Igor concluiu o Nihongo, que é o primeiro nível de Japonês para brasileiros, e agora, com 22 anos, estuda o nível mais avançado, chamado Kokugo.


A outra filha de Flávia, Maria Fernanda, foi matriculada no Kumon, por razões um pouco mais objetivas. 


A mãe conta que ela estava apresentando muita dificuldade para acompanhar a disciplina de matemática na escola, e não conseguia manter uma boa rotina de estudos


Hoje, Maria Fernanda é concluinte do curso de Português e continua estudando Kumon de Inglês e Matemática. E o mais importante: segundo a mãe, o Kumon trouxe para a filha a disciplina que ela precisava, aprendendo a administrar melhor o tempo de estudo. 


Vicente, o filho mais novo de Flávia, hoje tem 3 anos. Ele faz Kumon desde que tem um mês de vida! 


Durante a gravidez, Flávia conta que um exame apontou a possibilidade de que o bebê tivesse Síndrome de Down. 


Conversando com uma amiga, que é orientadora do Kumon, ela decidiu que, independentemente de ter ou não a síndrome, Vicente seria um garoto bastante estimulado. 


E assim foi feito! Mesmo contrariando o diagnóstico inicial, ele foi matriculado desde muito cedo. Segundo a mãe, o maior benefício é que ele se tornou uma criança, que desde cedo, respeita e acata obrigações, sem que isso seja um fardo.


Diante de tantas experiências positivas, Flávia decidiu se matricular também no Kumon. 


Ela já havia feito um curso de inglês na adolescência, mas queria muito voltar a estudar. Assim, ela pode comprovar, ainda mais de perto, os resultados de um método de estudos focado na disciplina e no autodidatismo: aos 42 anos, Flávia concluiu o Kumon de Inglês!


Isso que é uma bela história envolvendo educação e família, hein?!


“Estudar pelo método Kumon é notar, muito claramente, que o conhecimento é uma questão de mérito. 


Se você se esforçar e não desviar o foco, o resultado aparecerá.” conta Flávia.

Mantendo o hábito de estudos, até mesmo, durante a pandemia

Flávia conta que a família já passou por vários momentos e fases durante o período de distanciamento social, e que todos estão se beneficiando do hábito que a disciplina nos estudos traz. 


Não é fácil, claro, até porque Igor e Maria Fernanda estão tendo aulas da universidade e da escola, o que demanda muitas horas em frente ao computador. 


Mas, ela afirma, tudo o que foi trabalhado com eles durante os estudos no Kumon os capacita para organizar os próprios horários e priorizar as sua atividades. A relação entre família e educação realmente funciona!


Segundo a mãe, um dos principais desafios continua foi o mesmo, independente de pandemia: estudar para melhorar como pessoa. 


Em sua família, o estudo é visto como a principal ferramenta para a expansão dos horizontes do ser humano.


“Sempre digo que o Kumon é um método quase homeopático. Ele não vai trazer benefícios imediatos. 


É preciso uma pequena dose diária, com determinação e um olhar à frente, para perceber que os frutos surgirão e serão colhidos por toda vida.” Flávia, mãe de alunos e aluna concluinte do Kumon.  


Descubra uma unidade do Kumon mais próxima de sua casa!

Conclusão

Neste conteúdo, nós falamos sobre a relação entre família e escola, um fator crucial para a educação dos seus filhos. 


Como vimos, o desenvolvimento intelectual não é tarefa apenas de professores e educadores. A família também deve participar de todo o processo. 


E como estreitar essa relação entre família e escola? 


O primeiro passo, para isso, é se inteirar sobre as atividades, experiência dos professores, método de estudo e afins, das crianças e adolescentes. 


Além disso, há o papel de incentivar os estudos, mesmo em casa. 


Ajude seus filhos a ler, escrever, interpretar, reconhecer suas próprias emoções, ter senso crítico e afins!


A importância da família na escola e na educação, como todo, é enorme! 


Muito para além disso, claro, conte com o método de estudo Kumon! É possível matricular seu filho no curso de matemática, inglês, português e/ou japonês. 


Vale destacar que a metodologia Kumon faz com que os alunos estudem de forma concentrada, focada, independente e com verdadeiro prazer. 


Conheça mais do Kumon, e fortaleça sempre a interação entre família e escola!

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade
Para garantir ainda mais transparência em como usamos seus dados pessoais aqui no Kumon, nós atualizamos nossa Política de Privacidade. Caso queira consultá-la, clique aqui. Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Ao continuar a navegar neste site, você concorda como o seu uso. Para saber mais sobre o uso de cookies, clique aqui.