O sonho de conhecer outras culturas

08/03/2019
Johnatan Padovez Kumon
Compartilhe:

Quando eu tinha 13 anos, decidi aprender a falar inglês. Eu queria entender as músicas estrangeiras que ouvia, assistir a filmes sem legenda e ler as versões originais dos livros. Com isso em mente, comecei o método Kumon em 2010.


Nesse mesmo ano, durante a leitura diária das histórias nos bloquinhos, foi crescendo o desejo de conhecer pessoas de outros países, de fazer mais amigos e expandir meus horizontes de cultura e conhecimento. 


Desse momento em diante, comecei a procurar intercâmbio: ouvi falar que era difícil se adaptar a outros países, que os outros povos do mundo não eram tão receptivos, que as comidas não eram saborosas, que o clima era incômodo e que, às vezes, havia abismos culturais quase intransponíveis. 


Fiquei receoso, desanimado e, de certa forma, desmotivado. Mas a cada nova história que lia, sentia a curiosidade aumentar. Assim, apesar da resistência inicial, do medo de não me adaptar, o sonho foi mantido. Em 2019, finalmente fui capaz de realizar esse desejo de menino e, hoje, posso afirmar, sem dúvidas, que a impressão foi boa e que tive uma surpresa muito positiva! 


Os norte-americanos me receberam de braços abertos, com sorriso no rosto e convites sinceros. Apesar do frio, que nunca tinha passado antes, com sensação térmica de - 27°C, eu me senti acalorado em todos os espaços. 


Com o frio superado, amigos americanos e confortável na cidade, faltava, então, a comida. E, ah… que delícia! 


São tantas opções de doces, salgados, especiarias que fui obrigado a me controlar.

 

Após todas essas experiências, percebi que o desejo de conhecer as pessoas, de aceitá-las como são, de estar aberto ao outro, à sua cultura, a suas possibilidades é o suficiente para tornar qualquer experiência internacional um momento único de aprendizado e crescimento. 





Tags: kumon, método, inglês

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade