Descubra como o Kumon ajudou Tamires a realizar o sonho de estudar no exterior

14/05/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

A paulista Tamires da Silva tem apenas 22 anos, mas já passou por experiências que valem por uma vida. Cursa Relações Internacionais (International Studies) na SAU - Soka University of America, e se formará em maio. Trabalha como assistente de dormitório, é uma das fundadoras do coletivo negro Black Student Union, no campus em que estuda, e vice-presidente do Executive Council, o grêmio estudantil da universidade.


Durante a graduação, Tamires viajou para Gana para pesquisar o tráfico de escravos nos séculos passados, participou de estudos em Manaus sobre o SUS e morou por seis meses em Dakar, no Senegal, como parte do programa de intercâmbio obrigatório da SUA.

Tamires está concluindo sua graduação nos EUA, e tem planos de viver no Canadá ou na Europa.
Tamires está concluindo sua graduação nos EUA, e tem planos de viver no Canadá ou na Europa.

O Kumon foi essencial para que ela pudesse começar os estudos nos EUA e tivesse todas essas experiências, o que lhe proporcionou profundo conhecimento de inglês. Tamires conta que, antes de dar início à graduação, fez um curso intensivo de um ano na universidade para aperfeiçoar o inglês acadêmico. A aluna se destacou desde o início por ter nível avançado, recebendo o Prêmio de Excelência Acadêmica da SUA após concluir o curso por ser a estudante com a média mais alta.


"Estudar em uma universidade no exterior é mais do que a realização de um objetivo pessoal. É também uma forma de incentivar outros jovens como eu a não desistir dos seus sonhos." Tamires


O começo de uma incrível jornada


Em 2011, Tamires quis estudar japonês, e o Kumon era o único instituto que oferecia o idioma. Uma amiga que havia acabado de retornar do Japão estava estudando pelo método e a incentivou a conhecer o curso. A mãe de Tamires deu o maior apoio, mas com uma condição: que ela também fizesse inglês, por causa de sua importância no mercado de trabalho. Foi assim que Tamires se tornou aluna do Kumon.


De lá pra cá, ela só tem elogios ao Kumon. O que mais lhe agrada no método é o fato de ser individual. Assim, ela podia focar no próprio ritmo de aprendizado. A mudança de metodologia fez com que Tamires, que detestava inglês, começasse a gostar de estudar. Além disso, ela acredita que o Kumon a fez ter mais confiança em si. Ela não sabia, mas essas habilidades seriam importantíssimas para seu futuro.


"Para mim, o Kumon representa o começo da jornada para chegar onde estou. Se não fosse minha mãe ter me incentivado a estudar inglês, eu não estaria estudando hoje em uma universidade renomada nos Estados Unidos." Tamires


Grandes planos para o futuro


Tamires não tem palavras para descrever a sensação de entrar em uma universidade no exterior. Para ela, essa experiência foi e continua sendo muito boa. 

Tudo isso se reflete nos estudos e planos de Tamires para ao futuro. Quando foi para o Senegal, ela fez um curso em francês sobre desenvolvimento social e econômico e se apaixonou por essa área. Este ano a aluna resolveu prestar mestrado na área, porém em universidades da Europa e do Canadá. Ela está aguardando os resultados, e espera estar matriculada em alguma delas em setembro. 


Além do mestrado e de um futuro doutorado, Tamires planeja trabalhar nas Nações Unidas ou em outra organização internacional, ajudando a criar projetos de desenvolvimento focados em aumentar o acesso à educação de qualidade a comunidades periféricas e indígenas. O Kumon ensinou à Tamires que o conhecimento pode fazer toda a diferença na vida de alguém.




Tags: kumon, inglês, japonês

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade