Da alfabetização para a vida

25/09/2018
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Com apenas 4 anos, Luíza foi alfabetizada pelo Kumon e hoje se destaca entre seus colegas de sala

 

Luíza Dourado Souza sempre foi apaixonada por livros, e, aos 4 anos de idade, já começou a reconhecer algumas palavras e demonstrar interesse pela leitura e escrita. Muitos pais poderiam achar que ainda era cedo demais para começar a alfabetizá-la, mas, por sorte, não foi o que pensou sua mãe, Laura.


Ao perceber o interesse da filha pelas letras, ela lembrou-se de uma amiga do trabalho que era muito boa em Português e alegava que devia isso ao método Kumon. Foi assim que Laura decidiu, em 2015, matricular a pequena Luíza no Kumon de Português.


A decisão da matrícula foi fácil, mas a certeza de que fizera a escolha certa demorou um pouco. Laura conta que teve seus momentos de dúvida. No início, achou o conteúdo simples demais, e, depois de um tempo, começou a pensar que ele estava ficando muito difícil e que a filha não conseguiria acompanhar. Era tudo insegurança de mãe, porque, para Luíza, todo o processo foi simples e prazeroso. Ela conta que gostou do Kumon desde o primeiro dia, e ainda consegue se lembrar da sensação que teve quando finalmente começou a ler: “Eu li para meu avô, e ele não acreditou que eu já sabia ler. Ele ficou muito feliz, e eu também”.



Depois de superada a fase da alfabetização, Luíza começou os estágios que visam aprimorar gradativamente a capacidade de leitura e interpretação, afinal, esse é o objetivo do Kumon de Português, que começa com a alfabetização e vai até a leitura e interpretação de textos críticos e literários, pondo os alunos em contato com grandes nomes como Machado de Assis, Fernando Pessoa, Guimarães Rosa, Cervantes, Dostoiévski, Rousseau, entre muitos outros.


Claro que ainda falta muito para Luíza chegar a esses autores, mas, hoje, ela já lê seus livros infantis com bastante fluência e está muito adiantada em relação aos seus colegas de sala, tanto que a professora a convidou para ser sua assistente. “No grupo das mães, muitas perguntam onde a Luíza fez a pré-escola, pois ela já sabe ler muito bem, enquanto os amiguinhos estão começando agora”, conta Laura, que sempre indica o Kumon para outros pais.


Apesar do ótimo desempenho de Luíza com a leitura, o que mais impressiona sua mãe são a disciplina e a independência que a filha adquiriu desde que começou o Kumon. “Não ajudo a Luíza em nada. Ela administra a escola e o Kumon sozinha”, conta a orgulhosa mãe, que tem consciência de como essa postura é rara em uma criança de apenas 7 anos.


Outra característica do Kumon com a qual Luíza se identificou é o estudo diário. Em nosso método, os alunos são estimulados a estudar um pouquinho todo dia, para que, assim, criem uma rotina de estudo, o que será fundamental em toda a sua vida acadêmica. Alguns pais ficam assustados com essa cobrança do Kumon, acreditando que a necessidade de estudar todos os dias pode sobrecarregar seus filhos. Luíza garante que isso não acontece. Ela faz as lições do Kumon assim que chega da escola, e, aos finais de semana, logo que acorda. Dessa maneira, sobra bastante tempo para brincar. Tanto que, um ano depois de começar o curso de Português, ela já pediu a sua mãe que a matriculasse na Matemática e pretende, em breve, iniciar também os estudos de Inglês. 


Disciplina, concentração, independência, autodidatismo, rotina de estudo, prazer pela leitura: esses são apenas alguns dos muitos benefícios que o método Kumon traz para seus alunos. Luíza ainda tem um longo percurso pela frente e muitos outros aprendizados virão, mas, com certeza, ela está no caminho certo para realizar seu sonho de ser uma ótima professora de espanhol. Alguém duvida disso? 





Tags: kumon, alfabetização

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade