Como obter uma boa pontuação no teste do TOEFL Junior?

29/10/2020
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Luís Henrique foi alfabetizado pelo método Kumon


Com apenas 4 aninhos, Luís Henrique pediu aos pais para aprender Inglês, pois queria entender melhor os jogos eletrônicos dos quais gostava. Seu pai, então, explicou que para isso ele deveria primeiro aprender português. Com a vontade de brincar impulsionando os estudos, Luís foi alfabetizado pelo método Kumon e aos 7 anos iniciou o Kumon de Inglês


Hoje, com 13 anos, o conhecimento de Luís vai bem além dos joguinhos. Em plena pandemia, o aluno fez o teste do TOEFL Junior de forma remota e atingiu 895 pontos de 900! Segundo sua mãe, Josely Maria Machado Bark, fazer o exame em condições tão adversas foi uma experiência muito positiva e edificante. 

“A prática do Kumon foi fundamental para o rápido desenvolvimento de Luís Henrique na língua inglesa e para este resultado no TOEFL Junior. O vocabulário, a leitura e interpretação de textos, a gramática e o listening abordados no método proporcionam um amplo aprendizado, que é construído de forma lógica e natural.” Josely Maria, mãe de aluno do Kumon.

Antes mesmo do teste, há algum tempo, os pais já puderam observar e admirar o rápido avanço e desenvoltura do filho em duas viagens para os Estados Unidos. Josely destaca que, hoje, com mais tempo de estudos, Luís Henrique está ainda mais consistente em seu aprendizado, dominando todos os aspectos do idioma: a escrita, a leitura, a audição e a conversação. 

 

Prazer em estudar

 Josely  e seu filho Luis Henrique.

Josely possui bastante intimidade com o método Kumon. Ela conta que, em 1995, tornou-se orientadora do método, função que desempenhou por algum tempo. Neste período, ela tomou consciência da elevada eficácia do método e da ampla gama de benefícios relacionados ao desenvolvimento geral dos alunos. E prometeu para si mesma: assim que tivesse um filho, ele seria matriculado no Kumon. 

“O motivo principal dessa decisão era que Luís criasse o hábito e, principalmente, gosto por estudar. Que o estudo fosse sempre uma atividade prazerosa, na qual ele se sentisse plenamente confiante e satisfeito.” Josely Maria. 

Luís Henrique iniciou o Kumon de Matemática em 2010, com 2 anos e 8 meses e de forma prazerosa, sem jamais manifestar qualquer irritação ou aborrecimento, a concentração de Luís Henrique foi se expandindo e aprofundando. Rapidamente ele se tornou aluno adiantado em relação à série escolar. 

 A mãe diz que, durante todos os anos escolares, o filho foi sempre um aluno ávido pelo aprendizado, curioso e entusiasmado com o conhecimento. Realizou sempre as tarefas, trabalhos e provas com tranquilidade. Obteve em todos os anos escolares certificados e prêmios com as primeiras médias das turmas nas quais estudou. 

“O Kumon propiciou um desenvolvimento gradual, progressivo e profundo. Trabalhou, além do conhecimento e do raciocínio mental, a concentração, memória, velocidade na aquisição de novos conteúdos, autoconfiança, organização, resiliência, tolerância e habilidade para ajudar os colegas com mais dificuldades.” Josely Maria. 

 

Mantendo os estudos durante a pandemia

 


Para Josely, o Kumon tem feito toda a diferença durante esta fase que vivemos. O estudo não é encarado pelo filho como sacrifício ou obrigação fastidiosa. Há boa concentração e disposição para as aulas online do colégio. Além disso, Luís Henrique sabe administrar o tempo plenamente. Além do estudo e das atividades extras, há tempo para os jogos, brincadeiras e bate-papos online com amigos, como todo jovem normal. 

“Neste momento de pandemia, o estudo em casa pode favorecer o fortalecimento da capacidade das crianças ou jovens de aprender sozinhos, ou seja, desenvolver o autodidatismo. O método Kumon preenche integralmente essa função.” Josely Maria. 

Josely comenta que esta característica do Kumon, o autodidatismo, representa um enorme auxílio, pois com o home office e todas as demais tarefas do lar acontecendo paralelamente, torna-se exaustivo para os pais ainda precisar assumir o papel de professores. 

Ou seja: além de preparar o aluno para enfrentar desafios, tomar decisões e contribuir para a sociedade, o método tem ajudado muito os pais neste momento difícil. Mais uma prova de que, para quem faz Kumon, o ano não está perdido!


 ESTAMOS COM MATRÍCULAS ABERTAS! 

Tags: kumon, experiência, método, alunos, aprendizado, inglês, kumonnolar

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade