Quem é o fundador do método Kumon?

15/08/2019
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

“Descobri o interesse pelos estudos por meio do autodidatismo”, contou o professor Toru Kumon, fundador do método que beneficia diversos alunos em mais de 50 países.

Nascido em 1914, na província de Kochi, no Japão, Toru Kumon conheceu o autodidatismo quando ingressou na Escola Ginasial de Tosa. Nos primeiros dias de aula, notou que muitos de seus colegas de turma vieram de um curso preparatório. Por isso, estavam à frente no aprendizado. “Foi um susto”, disse ele.

No entanto, o sistema educacional da Escola prezava pelo estudo autoinstrutivo, cujo objetivo é incentivar o aluno a evoluir nas disciplinas, independentemente do estágio no qual está matriculado. Com esse esquema, ele enxergou a possibilidade de se desenvolver, aprendendo conteúdos segundo o próprio interesse. “Era o método ideal para mim, pois avançando além da série escolar, podia ficar tranquilo o quanto antes!”

O desejo de ser hábil nas atividades, sem gastar muita energia, acompanhou Toru Kumon desde a infância. “Considero verdadeiramente inteligentes aqueles que atingem o máximo de eficácia com o mínimo de esforço”, refletiu.

A seguir, conheça um pouco da trajetória do professor Toru Kumon e descubra como suas experiências levaram à construção de um método inovador.

O progresso nos estudos de matemática por meio do autodidatismo

Na Escola Ginasial de Tosa, os educadores estimulavam os alunos a estudarem de modo autônomo. Se houvesse dúvidas, bastava ir à mesa do professor para esclarecê-las. Depois disso, cada um voltava ao seu lugar para continuar os exercícios.

Foi dessa maneira que Toru Kumon aumentou o interesse pelos cálculos e, em um ano, alcançou os colegas vindos das escolas preparatórias de matemática. Assim, finalizou os conteúdos de álgebra, no primeiro trimestre da 3ª série, e de geometria, no trimestre consecutivo.

A compreensão da importância da leitura

Apesar de ter um bom desempenho em matemática, fato que contribuiu para a sua entrada na Universidade Imperial de Osaka, Toru Kumon sentia dificuldades no estudo de língua pátria. Por isso, as notas nas redações não eram satisfatórias. “Não tive a oportunidade de entrar em contato com inúmeros livros na minha infância”, explicou.

Segundo ele, a leitura é importante para desenvolver a capacidade de pensamento. Diante disso, resolveu estimular essa habilidade desde cedo nos alunos, antes de introduzi-los nos cálculos algébricos. “Por experiência própria, enfatizei essa questão na educação de pré-escolares”, esclareceu o professor e fundador do método.

O aprendizado de inglês por meio da leitura

Ao concluir que o hábito de ler é necessário para a aprendizagem por meio do autodidatismo, Toru Kumon observou que a palavra escrita é o caminho para iniciar os estudos em língua estrangeira. Assim, passou a ler textos em inglês, o que o ajudou a adquirir vocabulário e a compreender a estrutura do idioma. De acordo com ele, o ensino de inglês deve começar pela escrita, senão, os alunos podem ter dificuldades na matéria.

A criação do método Kumon

Após sua experiência com o modelo educacional autoinstrutivo, Toru Kumon pensou que todas as escolas deveriam adotar essa ferramenta. No entanto, seria necessário aperfeiçoá-la: elaborar um material de apoio que auxiliasse o aluno a estudar sozinho e um método capaz de avaliar seu progresso.

Dessa forma, o professor criou uma metodologia adequada à capacidade individual de seus alunos. Mediante o autodidatismo, eles desenvolvem o máximo potencial. Para Toru Kumon, “a educação deve se adaptar a cada criança, caso contrário, não terá sucesso”. Sem considerar a idade ou série escolar, os estudantes adquirem gosto pelo aprendizado e progridem nos conteúdos sozinhos, conforme o próprio ritmo.

Quer saber mais sobre a história do professor Toru Kumon? Clique aqui e fique por dentro do método que não para de aprender.  



Tags: kumon, método, aprendizado

Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade