O quanto o Kumon de Matemática pode te ajudar a ir bem no vestibular

17/12/2018
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:

Matemática é essencial para ter um bom desempenho acadêmico. Pontos básicos da disciplina, como cálculo e raciocínio lógico, são importantes para vários exames de peso e ajudam não só a acertar as perguntas de matemática, mas também contribuem para um bom resultado em todas as disciplinas. Pensando nisso, trouxemos informações sobre como Kumon de Matemática pode melhorar sua nota nos vestibulares.


Matemática no Enem

Nos últimos quatro anos, quase 50% das questões de matemática do Enem, Exame Nacional do Ensino Médio, cobrou conhecimentos numéricos básicos. A prova é utilizada como meio de ingresso em várias universidades, no Brasil e no exterior, e desde 2013 as perguntas de matemática têm focado em temas como proporções, porcentagens, progressões, conjuntos numéricos, comparações entre grandezas e análise combinatória.

Para resolver exercícios desse tipo, o aluno não precisa dominar conteúdos matemáticos altamente complexos. Pelo contrário, se o estudante compreender bem os tópicos básicos da disciplina, ele conseguirá solucionar essas atividades tranquilamente.


Kumon de Matemática

O Kumon trabalha a autonomia e a concentração, fornecendo os instrumentos necessários para que o aluno construa o raciocínio sozinho. Ele começa revisando tópicos com os quais já tem facilidade e só segue para assuntos mais difíceis depois de desenvolver uma base sólida.

O Kumon de matemática é focado em aperfeiçoar as capacidades de cálculo básico, fortalecendo a precisão e a rapidez. Além disso, o método melhora o raciocínio lógico, o relacionamento de dados e a análise de hipóteses, formando alunos prontos não só para resolver exercícios, mas também para enfrentar qualquer desafio que encontrarem pela frente.


O método Kumon

                O Kumon é um método de aprendizagem criado há mais de 60 anos, no Japão. A iniciativa surgiu quando o professor Toru Kumon elaborou exercícios para ajudar seu filho, Takeshi, a aprimorar as habilidades em matemática. Toru Kumon acreditava que os progressos só ocorreriam quando o aluno fosse capaz de avançar por conta própria.

Por isso, os exercícios que ele fez estavam organizados de uma forma que permitia a Takeshi assimilar o conteúdo e evoluir de modo autônomo e independente. Ao perceber as melhorias do menino, o professor começou a orientar outras crianças da região e, em 1958, abriu a primeira unidade do Kumon.

            Desde então, a instituição tem ajudado milhares de pessoas ao redor do mundo na formação escolar e acadêmica. Atualmente, o Kumon está presente em 51 países e conta com mais de 4 milhões de alunos. Você tem interesse em conhecer o método Kumon? Acesse nosso site e encontre a unidade mais próxima de você!



Artigos relacionados

Receba conteúdos exclusivos do Kumon
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade