Mais que um método, uma filosofia de vida!

21/12/2018
Kumon Brasil Kumon
Compartilhe:


Quanta diferença o Kumon pode fazer na vida de uma pessoa? Para algumas, ele significa tranquilidade nos estudos. Para outras, uma mudança de postura e comportamento em relação ao aprendizado. E ainda há as vitórias que marcam, como a classificação em um vestibular ou a conquista de uma bolsa de estudos.

Para a orientadora do Kumon há dez anos Ramaiana e seu filho, João Gabriel, de 13 anos, o Kumon é mais que um método: é uma filosofia de vida. A relação entre eles deu origem a uma história de conhecimento, reconhecimento e gratidão que transcende os limites do aprendizado para se tornar um exemplo emocionante de superação.

 

Um sonho realizado

Ramaiana fazia graduação em Letras Vernáculas na Universidade Estadual de Feira de Santana quando, no último semestre do curso, descobriu que seria mãe. Consciente de sua realidade, sabia que precisaria de muita determinação para proporcionar uma vida digna ao filho. Foram anos de batalha em diversos empregos e mudanças de endereço.

Em 2007, um familiar adoeceu e Ramaiana resolveu voltar para Salvador. Foi quando sua irmã, Ana, a apresentou ao Kumon e a convidou para ser auxiliar em uma unidade. Ramaiana ficou imediatamente maravilhada com o método. Como sempre gostou de estudar, quis avançar nos estudos dos materiais. Não demorou para Ana indicá-la como orientadora. Ramaiana foi até a filial de Salvador e marcou uma entrevista. Finalmente conquistou sua franquia e, mais que isso, sua realização pessoal e profissional.

"Em março de 2008, a missão do Kumon passou a concretizar o que jurei na minha formatura, o que sonhei para a minha vida, para a vida do meu filho e para todas as pessoas que estão ao meu redor."

- Ramaiana

 

Colhendo os frutos do estudo

Ramaiana decidiu matricular o filho no Kumon porque acredita no método e tem certeza de que seus benefícios – autoconfiança, administração do tempo, capacidade de execução de tarefas, concentração, responsabilidade, respeito ao próprio ritmo, independência, entre tantos outros – podem possibilitar um futuro mais tranquilo e seguro para João Gabriel.

Desde que João começou a estudar no Kumon, com 2 anos e meio, a mãe percebeu muitas mudanças em seu comportamento. Aos 3 anos ele contava até 50 ou mais, e aos 4 anos já estava alfabetizado pelo Kumon de Português. Aos 10 anos, quando iniciou o preparatório para o Concurso do Colégio Militar, o menino passou a questionar a necessidade de fazer Kumon. O questionamento foi deixado de lado quando João percebeu quanto se destacava no curso, porque tinha a base de cálculo solidificada pelo Kumon de Matemática e uma excelente interpretação de texto e escrita desenvolvida pelo Kumon de Língua Pátria.

Em 2018, João Gabriel participou do concurso de bolsas da escola SEB e conquistou a pontuação máxima. A mãe diz que ele se adaptou bem à nova escola e passou a participar de todas as atividades propostas com motivação, inclusive inscrevendo-se nas olimpíadas que a escola sugeriu para sua série escolar:

 - Olimpíada Brasileira Canguru de Matemática (Medalha de Prata)

- Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (Medalha de Prata)

- 3ª Olimpíada de Matemática do Estado da Bahia (Menção Honrosa)

- Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Menção Honrosa)

 

"Hoje percebo que a orientação concedida por meio do método Kumon desde os primeiros anos de vida do meu filho construiu um comportamento de hábitos positivos. Diariamente recebo elogios e reconheço um ser humano incrível. João tornou-se um aluno mais adiantado, mais persistente e mais brilhante!"

- Ramaiana

 

Mais que alunos, o Kumon forma estudantes

João é considerado o melhor aluno da classe em Matemática. No Português, obtém excelentes notas nas redações e avaliações da escola. E o hábito da leitura ajuda muito nisso. Ele é louco por livros de mistério e ficção em geral. Hoje em dia, seus livros favoritos são “Origem”, de Dan Brown, e a saga “Lendas dos Guardiões”, de Kathryn Lasky. Somente em 2018 ele leu cerca de 50 livros, a maioria com mais de 200 páginas. Em inglês, começou a entender a importância do domínio de uma segunda língua desde que passou a mostrar interesse em fazer intercâmbio.

"Aquilo de que mais gosto no Kumon é o incentivo pela busca de conhecimento, pois é isso que diferencia um aluno de um estudante. O aluno só está interessado em aprender para usar em uma prova, ou algo do tipo, enquanto o estudante quer ampliar seu conhecimento sempre. E eu acho que as orientadoras querem formar mais estudantes do que alunos."

- João Gabriel


João Gabriel diz que deseja se tornar engenheiro aeroespacial, programador, físico, matemático ou cosmólogo. O estudante acha que a tecnologia humana ainda não chegou ao seu potencial máximo, e acredita que com empenho e conhecimento isso será possível no futuro. Com tanta dedicação aos estudos, com certeza João está fazendo a parte dele!

 

 


Tags: kumon

Artigos relacionados

Receba dicas do Kumon sobre educação dos filhos
Aceita receber informações do Kumon?
Política de privacidade